59º Congresso Brasileiro de Ginecologia e Obstetrícia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

GESTAÇÃO COM SÊMEN CONGELADO HÁ MAIS DE QUINZE ANOS: RELATO DE DOIS CASOS

CONTEXTO

São bem conhecidos os efeitos deletérios do câncer e de seus tratamentos sobre a função testicular. Pacientes que antes da quimioterapia, radioterapia ou cirurgia forem encaminhados para armazenamento do sêmen podem se beneficiar da técnica criopreservação mesmo após muitos anos. Seguem os relatos de duas gestações após mais de 15 anos do congelamento do sêmen.

DESCRIÇÃO DO(S) CASO(S) ou da SÉRIE DE CASOS

CASO 1: Ano do congelamento: 2000. Dados demográficos por ocasião do congelamento: idade 29 anos; tipo de câncer: testicular com doença metastática linfonodal; encaminhamento: urologista; estado civil: solteiro; escolaridade: superior completo. O congelamento: 20 palhetas de 0,5 ml, provenientes de 3 coletas seminais; padrão médio do sêmen pré-congelamento: volume 2mL, concentração 30 milhões/mL, motilidade 25% direcional e 25% não direcional, vitalidade 70% vivos. Técnica utilizada para gravidez: fertilização in vitro (FIV). Tempo de congelamento: 19 anos e 4 meses. Idade da mulher no procedimento: 36 anos. A FIV: utilizada uma palheta da 1ªcoleta - volume 0,5mL, 28 milhões/mL 10% motilidade direcional e 20% motilidade não direcional; inseminados 8 óvulos, 5 fertilizaram, resultando em 2 blastocistos (1 transferido, 1 congelado). Desfecho: gestação única. Nascimento: cesariana em 2020, com 39.6 semanas; recém-nascido (RN) feminino, 3120g, 49 cm, Apgar 9/10. CASO 2: Ano do congelamento: 2001. Dados demográficos por ocasião do congelamento: idade: 16 anos; tipo de câncer: testicular; encaminhamento: oncologista; estado civil: solteiro; escolaridade: segundo grau incompleto. O congelamento: 12 palhetas de 0,5 ml; padrão do sêmen: 9 milhões/mL com 33% de motilidade. Técnica utilizada para gravidez: FIV. Tempo de congelamento: 17 anos. Idade da mulher no procedimento: 33 anos. A FIV: descongelada duas palhetas; 10 óvulos inseminados por ICSI, 8 fertilizaram resultando em 4 blastocistos (1 transferido, 3 congelados). Desfecho: gestação única. Nascimento: parto em 2019, com 39 semanas; RN masculino, 3600g, 49 cm, Apgar 9/9.

COMENTÁRIOS

Oferecer a criopreservação seminal para homens com diagnóstico de câncer é de extrema importância para a preservação da fertilidade, uma vez que não há limite de tempo de congelamento, o que possibilita busca de gestação com gametas próprios muitos anos após o mesmo. A comunidade médica deve estar sensibilizada para esta questão, principalmente no caso de indivíduos que não priorizam paternidade neste momento, e devem ser alertados sobre preservação da fertilidade.

PALAVRA CHAVE

criopreservação, sêmen, câncer, preservação da fertilidade, gravidez

Área

GINECOLOGIA - Reprodução Humana

Autores

Isadora Badalotti-Teloken, Adriana Arent, Alice Tagliani-Ribeiro, Victoria Campos Dornelles, Marta Ribeiro Hentschke, Alvaro Petracco, Mariangela Badalotti

Adicione na sua agenda: AppleGoogleOffice 365OutlookOutlook.comYahoo