59º Congresso Brasileiro de Ginecologia e Obstetrícia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

ANÁLISE DA DIMINUIÇÃO DOS NÚMEROS DE INTERNAÇÕES POR ENDOMETRIOSE NO BRASIL ENTRE 2015 E 2020

OBJETIVO

Analisar a quantidade de internações por endometriose entre os anos de 2015 a 2020 no Brasil e observar as diferenças nos índices de internação entre as faixas etárias.

MÉTODOS

Este é um estudo ecológico descritivo, a partir de informações da plataforma do DATASUS de Sistema de informações de Saúde (TABNET), na aba Morbidade Hospitalar do SUS, geral, a partir de 2008, por Local de Residência, com abrangência geográfica correspondente às regiões brasileiras. Na seção linha foi escolhido “Ano atendimento” e na coluna “Faixa Etária 1”, já no conteúdo foi selecionado “Internações”, considerando o período entre 2015 a 2020. Na categoria de Lista de Morbidade CID-10 foi selecionado “Endometriose”. Para análise dos dados, foi calculada a porcentagem do aumento ou diminuição de internações por endometriose no Brasil entre os anos citados.

RESULTADOS

Houve uma diminuição de 45,11% de internações por endometriose entre os anos de 2015 e 2020. Essa diminuição varia em cada faixa etária: a que obteve maior diminuição foi “80 anos e mais” com 61,82%; já a faixa etária com menor redução foi de “20 a 29 anos” com 37,93% entre os anos de 2015 e 2020. Pelos dados observados não houve nenhuma idade, comparando 2015 e 2020, que os índices de internações sofreram aumento. Além disso, percebe-se que de 2015 até 2019 a variação dos valores absolutos são baixos, de tal forma que a taxa de variação não foi maior que 30%, seguindo o padrão de redução. No entanto, nas faixas etárias de “20 a 29 anos”, “30 a 39 anos” e “80 anos e mais” houve um aumento de 4,36%, 1,42% e 3,64%, respectivamente, quando comparados os valores entre 2015 e 2019.

CONCLUSÕES

Conclui-se que o número de internações por endometriose no Brasil diminuiu expressivamente ao longo dos anos, principalmente no ano de 2020. Além disso, percebe-se que essa diminuição abrangeu todas as faixas etárias, com destaque para pacientes acima de 50 anos. Dessa forma, esses dados demonstram que há avanços no tratamento dos sintomas da endometriose, de tal forma que as pacientes não necessitem de atendimento na atenção terciária de saúde. No entanto, a diminuição dos dados indicados em 2020 podem ter relação com a pandemia da COVID-19 (Sars-Cov-2), considerando as recomendações de isolamento social do Ministério da Saúde. Assim sendo, essa redução pode estar relacionada com diversos fatores ainda não comprovados, como maior acesso ao tratamento medicamentoso adequado pelas pacientes.

PALAVRA CHAVE

Endometriose, Internação, Brasil

Área

GINECOLOGIA - Epidemiologia

Autores

José Juvenal Linhares, Jhulia de Aguiar Polleze, Vitória Campelo de Andrade Rodrigues, Ana Carolina Duarte Rossi, Amanda Beatriz Sobreira de Carvalho, Louise Lara Martins Teixeira Santos, Tatiana de Sá Roque

Adicione na sua agenda: AppleGoogleOffice 365OutlookOutlook.comYahoo