59º Congresso Brasileiro de Ginecologia e Obstetrícia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

O USO DE CONTRACEPTIVOS E A HISTÓRIA GINECOLÓGICA ENTRE ESTUDANTES DE MEDICINA EM SERGIPE

OBJETIVO

Analisar o uso de contraceptivos entre estudantes de medicina e conhecer a história ginecológica das mesmas.

MÉTODOS

Realizou-se um estudo transversal do tipo observacional, com delineamento descritivo. Os dados foram coletados através de aplicação de questionário a estudantes de medicina da Universidade Federal de Sergipe (UFS). Foram respondidas questões sobre a história ginecológica atual, tal como vida sexual ativa e uso de métodos contraceptivos, e pregressa. A coleta foi realizada entre os meses de novembro de 2019 e março de 2020. Foram elegíveis alunas de medicina da UFS que aceitaram se submeter à pesquisa mediante assinatura prévia do Termo de Consentimento Livre e Esclarecido. Foram excluídas desta pesquisa aquelas que estiveram com questionário respondidos de forma incompleta e aquelas que desistiram de participar da pesquisa.

RESULTADOS

Para este estudo, participaram 155 alunas. Entretanto, foram descartadas 10 destas por não atenderem ao critério de inclusão. Assim, a amostra final foi de 145 estudantes. A idade das participantes variou de 17 aos 35 anos, com média de idade de 22,47 anos. Apesar de 108 (74,5%) possuírem vida sexual ativa, sendo 84 (77,8%) dessas com parceiro(a) fixo(a), nem todas utilizam métodos anticoncepcionais. Apenas 105 alunas (72,4%), dentre todas as estudantes, fazem uso desses. O método mais utilizado foi o anticoncepcional hormonal (67 alunas), seguido dos preservativos (61 alunas) e dos dispositivos intrauterinos (13 alunas). Os métodos contraceptivos comportamentais foram citados 13 vezes, sendo 10 vezes o coito interrompido e 03 vezes a tabelinha. Nenhuma utilizava métodos contraceptivos irreversíveis, como a laqueadura tubária. Na análise da história ginecológica das estudantes, 102 (70,3%) estudantes não tinham nenhum diagnóstico prévio de acometimento ginecológico. Das 43 (29,66%) que apresentavam, 16 disseram ter ao menos um episódio de candidíase, 13 síndrome dos ovários policísticos, 9 dismenorreia, 7 endometriose, 3 corrimentos de repetição, 2 apresentaram, ao menos uma vez, vaginose bacteriana e 01 possui miomas uterinos.

CONCLUSÕES

A maioria das estudantes relataram vida sexual ativa com parceiro fixo e uso de métodos contraceptivos, principalmente o anticoncepcional hormonal. Quanto à história ginecológica, a maioria não tinha histórico de acometimento ginecológico como, por exemplo, vaginoses, SOP, dismenorreira, endometriose, corrimento e mioma.

PALAVRA CHAVE

Anticoncepcionais; Ginecologia; Estudantes de Medicina.

Área

GINECOLOGIA - Contracepção

Autores

João Eduardo Andrade Tavares de Aguiar, Rafaela Matos de Andrade, Vinícius da Silva Martins, Aline Rocha Aguiar, Claudete Martins Santos, Vitória Teles Apolônio Santos , Rodrigo Almeida Santiago de Araújo, Júlia Maria Gonçalves Dias

Adicione na sua agenda: AppleGoogleOffice 365OutlookOutlook.comYahoo