59º Congresso Brasileiro de Ginecologia e Obstetrícia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

O SOBREPESO E A OBESIDADE NO ESTÍMULO OVARIANO PARA FERTILIZAÇÃO IN VITRO: HÁ IMPACTO NEGATIVO?

OBJETIVO

Avaliar o impacto do sobrepeso e da obesidade no estímulo ovariano realizado para fertilização in vitro (FIV).

MÉTODOS

Estudo de coorte retrospectivo, realizado entre 2013-2020. incluídos 1835 ciclos de FIV, divididos em três grupos de acordo com o índice de Massa Corporal (IMC kg/m²): Grupo 1, < 25 (n=1332); Grupo 2, 25-29,9 (n=373); Grupo 3, ≥30 (n=130). Os ciclos de FIV cancelados, a dose de gonadotrofinas utilizada, número de oócitos recuperados e maduros e a taxa de oócitos maduros foram analisados e comparados entre os grupos. A análise estatística foi realizada através do SPSS, utilizando ANOVA, teste Qui-Quadrado e curva roc para comparar os grupos de estudo, considerando p<0,05. Com um 5% alfa e 80% de poder, foi calculado um tamanho amostral mínimo de 109 pacientes por grupo.

RESULTADOS

Foi observada uma tendência linear significativa para maior proporção de ciclos de FIV cancelados quanto maior o IMC (6.9% vs. 7.8% vs. 10.4%, p=0,002). Ainda, os grupos 2 e 3 (sobrepeso e obesidade, respectivamente) apresentaram uma significativa maior dose total de gonadotrofina (UI) utilizadas para o estímulo ovariano (1685±595 vs. 1779±610 vs. 1805±563, p=0,001). O grupo 3, com obesidade, apresentou um significativo menor número total de oócitos maduros aspirados após o estímulo ovariano (6 [6.4-7] vs 6 [5.6-6.6] vs 4 [4.6-6.7], p=0,0111); não houve, entretanto, diferença significativa entre os grupos quando a taxa de oócitos maduros (%) foi analisada (80 [76-78.6] vs 80 [74.3-79.7] vs 77.7 [71.4-81], p=0,877).

CONCLUSÕES

Neste estudo, há impacto negativo do sobrepeso e da obesidade na resposta ovariana ao estímulo realizado para FIV. A maior proporção de ciclos de FIV cancelados no sobrepeso e na obesidade pode estar relacionada a essa pior resposta ovariana observada, com necessidade de maiores doses de gonadotrofinas para estímulo. Portanto, mesmo as pacientes com sobrepeso e obesidade que apresentaram a melhor resposta ovariana apresentaram uma pior resposta quando comparadas às pacientes com IMC normal, ressaltando a importância da prevenção do excesso de peso corporal antes do início do tratamento reprodutivo.

PALAVRA CHAVE

Fertilização in vitro; Infertilidade; Obesidade

Área

GINECOLOGIA - Reprodução Humana

Autores

Victória Campos Dornelles, Marta Ribeiro Hentschke, Isadora Badalotti Teloken, Vanessa Devens Trindade, Bartira Ercilia Pinheiro da Costa, Alexandre Vontobel Padoin, Mariangela Badalotti

Adicione na sua agenda: AppleGoogleOffice 365OutlookOutlook.comYahoo