59º Congresso Brasileiro de Ginecologia e Obstetrícia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

Déficit neurológico na gestação: diagnósticos diferencias relevantes

CONTEXTO

A síndrome da encefalopatia posterior reversível (PRES) é um distúrbio neurológico de autorregulação desordenada e disfunção endotelial, ocasionando hiperperfusão da circulação posterior, podendo estar associada a Eclâmpsia. É clinicamente caracterizada por cefaléia, acuidade visual prejudicada, distúrbios de consciência, convulsões e déficits neurológicos focais. Ademais, os achados de neuroimagem são distintos e refletem edema vasogênico.

DESCRIÇÃO DO(S) CASO(S) ou da SÉRIE DE CASOS

Primigesta de 21 anos, com idade gestacional de 30 semanas e 5 dias, sem histórico de quadro hipertensivo, foi admitida devido cefaleia intensa, associada sintomas visuais e elevação pressórica (PA 164 x 104 mmHg), evoluindo com amaurose e rebaixamento de consciência (desorientação, agitação motora). Considerando possibilidade pré-eclâmpsia grave, foi feito correção de pico hipertensivo, iniciado Sulfato de Magnésio e maturação pulmonar fetal; quando a paciente permaneceu com quadro hipertensivo leve, sonolência e amaurose. Ainda, cogitando diagnósticos diferenciais relacionados a distúrbios neurológicos, foi solicitado Tomografia de Crânio. Foi realizada ecografia obstétrica, a qual evidenciou feto restrito e doppler alterado (fluxo uteroplacentário e fetoplacentário comprometido, com diástole presente em artéria umbilical e centralização fetal). Optou-se por controle de hemodinâmica fetal com doppler em 12 horas, quando foi notado pontos de diástole zero em alça livre. Cerca de 24 horas após a admissão da paciente, foi liberado laudo de estudo tomográfico evidenciando PRES, tendo em vista achado de hipodensidade subcortical simétrica e posterior nos lobos occipitais. Além disso, foi realizado novo doppler obstétrico, quando houve piora dos parâmetros fetais – sendo observado diástole reversa em artéria umbilical. Optou-se pela interrupção da gestação.

COMENTÁRIOS

A eclâmpsia é uma condição frequente, com decorrente evolução desfavorável. Um diagnóstico diferencial negligenciado pelos obstetras é a PRES. Esta pode ser causada por edema cerebral vasogênico e é facilmente tratável pela correção da causa base que contribuiu para a disfunção endotelial. Clinicamente, apresenta-se com quadro convulsivo, e um dos fatores indutores é a hipertensão arterial na gestação. Assim, é relevante diagnóstico assertivo, e tratamento iminente, para reduzir a morbimortalidade das pacientes, visto que é grave, porém reversível.

PALAVRA CHAVE

Gravidez; Pré-Eclâmpsia; Síndrome da Leucoencefalopatia Posterior

Área

OBSTETRÍCIA - Gestação de Alto Risco

Autores

Camila Flor Dantas , Gustavo Ribeiro Godinho de Sousa Teixeira, Ariane de Oliveira Alves, Amanda Cristina Alves da Cruz, Sabrina Costa Mendes, Ana Catarina Torres Magalhães, Jacirema Simone Maciel Flor

Adicione na sua agenda: AppleGoogleOffice 365OutlookOutlook.comYahoo