59º Congresso Brasileiro de Ginecologia e Obstetrícia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

PERFIL SOCIODEMOGRÁFICO E CLÍNICO DAS PUÉRPERAS ATENDIDAS EM UM HOSPITAL PÚBLICO DE REFERÊNCIA EM ALTO RISCO

OBJETIVO

Conhecer o perfil sociodemográfico e a prevalência de comorbidades prévias das puérperas atendidas em um hospital de referência em gestações de alto risco, bem como avaliar questões envolvendo o próprio puerpério, como tempo de internação e presença ou não de infecção puerperal.

MÉTODOS

Estudo transversal, retrospectivo, quantitativo, realizado a partir da análise de 382 prontuários, calculados a partir de um índice de confiança de 95%, de pacientes puérperas, na faixa etária de 15 a 49 anos, que tiveram seu parto na maternidade de um hospital público no período janeiro de 2017 a julho de 2019. Os dados foram analisados a partir de um protocolo elaborado pelos pesquisadores para avaliar o perfil sociodemográfico e clínico das puérperas. O estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Fundação Santa Casa de Misericórdia do Pará com parecer nº 3.817.281.

RESULTADOS

Foi observado nos 382 prontuários analisados que a maioria das puérperas eram mulheres jovens (58,6%), da capital (68,8%), em união estável (57,6%), de raça parda (91,69%), escolaridade nível médio (48,7%) e atividade “do lar” (63,6%). Ademais, a maioria apresentava histórico familiar e/ou pessoal de comorbidades prévias, destacando-se Hipertensão Arterial Sistêmica (28,3%) e Diabetes Mellitus (29,8%). Sobre a história do parto, 70,2% das puérperas tiveram parto a termo e 29,8% pré-termo. O tempo de internação materna até 72h foi equivalente a 75,4% e maior que 72h se obteve uma porcentagem de 24,6%. Oito a cada 10 mulheres não tiveram infecção puerperal (89,3%).

CONCLUSÕES

Os resultados deste estudo demonstraram que o perfil das puérperas que tiveram seus partos realizados no Hospital de análise se assemelha ao encontrado na literatura sobre o tema. No entanto, vale destacar que o perfil de comorbidades e as condições maternas relacionadas ao parto precisam ser levados em consideração, uma vez que estão relacionados ao impacto na saúde pública das gestantes. Assim, medidas mais eficazes, como diminuir o tempo de internação materna e minimizar os riscos de infecções relacionadas à assistência à saúde são impreteríveis para a melhoria do serviço de saúde prestado às gestantes no país.

PALAVRA CHAVE

Período Pós-parto, Parturientes, Parto, Perfil de saúde.

Área

OBSTETRÍCIA - Epidemiologia

Autores

Thalita da Rocha Bastos, Letícia Fonseca Macedo, João Victor Salvador Depra, Leonardo Pereira Puget Feio, Danielle Cristina Moreira de Carvalho, Daniele Socorro de Brito Souza Paiva

Adicione na sua agenda: AppleGoogleOffice 365OutlookOutlook.comYahoo