59º Congresso Brasileiro de Ginecologia e Obstetrícia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

Obesidade e complicações da diabetes gestacional no pré-natal de alto risco: uma revisão sistemática

OBJETIVO

Analisar a relação entre a obesidade em gestantes e a Diabetes Mellitus Gestacional (DMG) e suas complicações fetais para melhor acompanhamento durante o pré-natal de alto risco.

FONTE DE DADOS

Trata-se de uma revisão sistemática de literatura realizada nas bases de dados MEDLINE e Google Scholar, utilizando os descritores "obesidade” e “diabetes mellitus gestacional” e seus correspondentes em inglês. Incluiu-se os estudos publicados de 2017 a 2021, acessíveis no idioma inglês ou português e relacionados diretamente com a correlação entre a obesidade, a DMG e suas complicações.

SELEÇÃO DE ESTUDOS

Foram selecionados 12 artigos, que atendiam aos critérios de inclusão: publicados a partir do ano de 2017, apresentavam a relação entre os descritores; e de exclusão: artigos publicados antes de 2017, com língua além da portuguesa ou inglesa e aqueles que não demonstravam imparcialidades nos seus resultados e que não efetivaram uma correta relação.

COLETA DE DADOS

2 autores avaliaram independente a seleção dos artigos nas bases e a partir da análise entre o periódico e o objetivo do estudo os artigos foram selecionados para integrar a pesquisa utilizando os critérios de seleção já citados.

SÍNTESE DE DADOS

A obesidade representa um problema de saúde pública de significativa incidência em mulheres em idade reprodutiva e que é considerada fator de risco para desenvolvimento de DMG e suas complicações. Após a análise, foi observado que a incidência de DMG em pacientes obesas varia entre 47,8-75%. Ademais, vale destacar que a presença de feto grande para idade gestacional (GIG) em pacientes obesas foi de cerca de 21,6-38,8% e, se associados com a DMG, esse valor chega a cerca de 23,3%, este representando uma predisposição quase 8 vezes maior quando comparada com valores normais de peso materno. Já a presença de macrossomia foi de 16,3-21,2% em gestantes obesas e de 24% quando associado à predisposição de DMG, evidenciando uma relação entre o aumento do IMC e o ganho de massa fetal. Outrossim, observou-se que a obesidade associada à DMG confere uma predisposição para uma baixa Escala de Apgar e a necessidade de cesariana.

CONCLUSÕES

Conclui-se que há uma forte relação entre a obesidade, ainda que prévia à gestação, e o aparecimento de DMG associada à macrossomia ou ao feto GIG, bem como a necessidade de cesárea. Logo, o obstetra assume um papel fundamental de recomendar práticas saudáveis e realizar o controle endocrinológico durante o pré-natal para evitar complicações e fomentar uma gestação saudável para a mãe e para o feto.

PALAVRA-CHAVE

Assistência Pré-Natal; Diabetes Mellitus Gestacional; Obesidade.

Área

OBSTETRÍCIA - Gestação de Alto Risco

Autores

Milena de Souza Lucas, João Pedro Andrade Augusto, Ana Paula Andrade Augusto, Luis Carlos Belmino Barreto

Adicione na sua agenda: AppleGoogleOffice 365OutlookOutlook.comYahoo