59º Congresso Brasileiro de Ginecologia e Obstetrícia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

Avaliação da função sexual em mulheres com a Síndrome dos Ovários Policísticos com diferentes Índices de Massa Corporal

OBJETIVO

Comparar as diferenças na função sexual entre mulheres com e sem Síndrome dos Ovários policísticos, com diferentes Índices de Massa Corporal (IMC).

MÉTODOS

Estudo transversal controlado desenvolvido em mulheres de 18 a 40 anos que preencheram critérios de Rotherdam para o diagnóstico de SOP foram comparadas com mulheres saudáveis. A amostragem foi não probabilística e composta por 200 participantes, recrutadas a partir de demanda espontânea no ambulatório de Reprodução Humana e Endocrinologia ginecológica de um hospital de ensino da cidade de Teresina-PI. Foram distribuídas em quatro grupos: IA(SOP com excesso de peso-IMC≥25); 1B (SOP e peso normal – IMC<25); IIA (mulheres saudáveis e excesso de peso -IMC≥25) e IIB (mulheres saudáveis com IMC<25). Formulário estruturado, prontuário de atendimento e questionário IFSF (Funcionamento Sexual Feminino) foram utilizados como instrumentos de coleta de dados. Os dados foram analisados estatisticamente usando os testes de Kolmogorov-Smirnov; Mann-whitney e o de Kruskall-Wallis (p<0,05)

RESULTADOS

A população estudada tinha idade média de 31,5 anos de mulheres com SOP, e 31,09 para mulheres sem SOP, em maioria casadas, autodeclaradas pardas e com nível de escolaridade até o Ensino Médio. Os hábitos de vida (atividade física, tabagismo e etilismo) quando comparados os dois grupos I e II, não houve diferença estatisticamente significante (p>0,05). Baseado no total de escore do IFSF, a disfunção sexual esteve presente em 34% das mulheres com SOP quando comparadas ao controle, 32%. Em relação ao IMC, não foi verificado diferença estatisticamente significante entre as médias dos escores total do Índice da Função Sexual das mulheres com SOP e excesso de peso quando comparadas ao Grupo controle (p=0,479), mas no Grupo SOP, as mulheres com peso normal tiveram menos “satisfação” sexual (p=0,008) e “dores” na relação sexual (p=0,007) do que as mulheres com excesso de peso. As pacientes com SOP tiveram escores significantemente maior no domínio “satisfação” quando comparada com mulheres do grupo controle (p<0,05)

CONCLUSÕES

A função sexual de mulheres com a Síndrome dos ovários policísticos obesas ou com sobrepeso não apresenta muitas diferenças em relação ao controle, exceto nos domínios “satisfação e dor”.

PALAVRA CHAVE

Síndrome do Ovário Policístico. Sexualidade. Qualidade de vida. Obesidade.

Área

GINECOLOGIA - Sexualidade

Autores

Ione Maria Ribeiro Soares Lopes, Anna Klara Alves da Silva

Adicione na sua agenda: AppleGoogleOffice 365OutlookOutlook.comYahoo