59º Congresso Brasileiro de Ginecologia e Obstetrícia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

Placenta percreta com diagnóstico tardio: um relato de caso e um alerta.

CONTEXTO

O acretismo placentário consiste em um espectro de doenças relacionadas à aderência patológica da placenta. Podendo ser classificado em três tipos, através da extensão dessa aderência: placenta acreta (parte do miométrio), placenta increta (todo o miométrio) e placenta percreta (até a serosa uterina). Os principais fatores de risco são: cesarianas prévias, procedimentos ginecológicos prévios e idade materna.

DESCRIÇÃO DO(S) CASO(S) ou da SÉRIE DE CASOS

Trata-se de uma gestante de 35 anos, G5PC3A1, que após a realização de uma ultrassonografia sugerindo acretismo placentário, procurou uma maternidade de um hospital terciário de alta complexidade com 38 semanas e 4 dias (baseado no primeiro ultrassom, de 25/01/2021 com 16 semanas e 1 dia), quando e onde foi internada. Foram realizados exames de imagem, que identificaram irregularidades placentárias sugestivas de acretismo, com áreas de provável componente de incretismo. Uma revisão dos exames prévios identificou que em momento algum foi sugerida quaisquer alterações de implantação placentária. Uma cesariana com histerectomia foi então planejada com concordância da paciente, que não tinha desejo de gestar novamente. Realizada então uma cesariana eletiva, com uma incisão mediana supra-umbilical e diérese da parede abdominal por planos. Histerotomia corporal em região fúndica, com extração de recém-nascido pélvico, com Apgar 8/9. Procedeu-se então à histerorrafia, seguida de um inventário da cavidade abdominal, que identificou uma massa placentária grande, invadindo até a serosa uterina anterior (placenta percreta - confirmado posteriormente pelo anatomopatológico). Realizada cuidadosa dissecção do espaço entre massa placentária e bexiga por presença de aderências firmes e grande vascularização local, com remoção útero de forma total após as ligaduras arteriais, pediculares e ligamentares habituais. Conferida a hemostasia e então fechada a parede abdominal por planos. Sangramento dentro da normalidade, paciente estável hemodinamicamente durante toda a internação

COMENTÁRIOS

O acretismo placentário pode cursar com desfechos extremamente graves quando não é adequadamente identificado e acompanhado pelo pré-natal ou quando é abordado sem um planejamento ou cirurgião com experiência. Esse é um caso que exemplifica esse atraso diagnóstico no pré-natal, que entretanto pôde ter um desfecho favorável. Sem esse diagnóstico, num contexto de um trabalho de parto, ou uma cesariana eletiva sem esse conhecimento, o resultado poderia ter sido desastroso.

PALAVRA CHAVE

Acretismo placentário; placenta prévia; pré-natal; histerectomia.

Área

OBSTETRÍCIA - Gestação de Alto Risco

Autores

Guilherme Bese Moreira, Paola Gaston Giostri, Mariana Rodarte Freire, Júnia Andrade Carvalho, Bárbara Santos Pereira Neres, Caio Ribeiro Vieira Leal, Rayra Amana Macêdo Maciel

Adicione na sua agenda: AppleGoogleOffice 365OutlookOutlook.comYahoo