59º Congresso Brasileiro de Ginecologia e Obstetrícia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

HÉRNIA DIAFRAGMÁTICA MATERNA EM GESTAÇÃO GEMELAR COM SUSPEITA DE COVID-19: RELATO DE CASO

CONTEXTO

A hérnia diafragmática durante a gravidez é um evento especialmente raro, de difícil identificação e manejo, que pode ter manifestação assintomática até quadro de dispneia aguda ou mesmo obstrução intestinal. O caso torna-se ainda mais interessante por ser motivado pela suspeita de agudização de COVID-19 em plena pandemia pelo coronavírus.

DESCRIÇÃO DO(S) CASO(S) ou da SÉRIE DE CASOS

Primigesta de 29 anos, parda, casada, acompanhada no pré natal de alto risco do HU-UFMA desde 8s,2d de gestação, por gemelaridade dicoriônica-diamniótica. Antecedentes pessoais, apresenta síndrome dos ovários policísticos (SOP) e obesidade (IMC 33,3 kg/m2). Os dois primeiros trimestres foram marcados por episódios de sangramentos transvaginais leves. Devido a pandemia pelo novo Coronavírus sua quinta consulta pré-natal, que seria em com 24s,5d, fez-se por telemedicina, sendo realizadas orientações e retorno com exames para o mês seguinte. No retorno com 30s,5d, observou-se ganho ponderal excessivo, IMC de 40,5 kg/m2, observado também edema de MMII 2+/4+ e aumento de pressão arterial (PA 140 x 100 mmHg), sendo iniciado metildopa 750 mg/dia e propedêutica para síndrome hipertensiva na gestação. A proteinúria/24h de 330mg (pré-eclâmpsia). A Ultrassom com crescimento adequado de ambos os fetos. Foi internada com 35s,1d com IMC 44,42 kg/m2, PA 150 x 96 mmHg e edema importante em MMII, metildopa ajustado para 2g/dia. O parto cesariano foi indicado com 36s,4d. Apresentou desconforto respiratório importante, a cesariana ocorreu sem intercorrências, ambos os fetos nasceram bem. Radiografia de tórax, mostrou campo pulmonar inferior direito alterado. Encaminhada à enfermaria COVID-19, sendo realizado dois testes moleculares para COVID-19 (RT-PCR para SARS-CoV-2) em dias alternados, todos negativos; TC de tórax demonstrou descontinuidade da hemicúpula diafragmática direita na sua porção posterior, com herniação de conteúdo abdominal para a cavidade torácica, incluindo parte do lobo hepático direito e rim direito. Evoluiu com melhora da dispneia. Cirurgia toracica optou por conduta expectante.

COMENTÁRIOS

Diante da ausência de história de trauma e pelo posicionamento posterior em hemicúpula diafragmática direita, pode-se inferir que na paciente em questão trata-se de uma hérnia de Bochdalek à direita que se manteve oligossintomática durante os quase 30 anos de vida desta mulher sendo exacerbada por sua gestação gemelar. O diagnóstico foi incidental e não encontra par na literatura.

PALAVRA CHAVE

Hérnia Diafragmática; Gravidez gemela; COVID-19

Área

OBSTETRÍCIA - Gestação de Alto Risco

Autores

TÁCIO GIORDANO SANTANA GUIMARÃES, ROSY ANE JESUS PEREIRA ARAUJO BARROS, LILIA ARAUJO MOURA LIMA OLIVEIRA

Adicione na sua agenda: AppleGoogleOffice 365OutlookOutlook.comYahoo