59º Congresso Brasileiro de Ginecologia e Obstetrícia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

GESTAÇÃO ECTÓPICA EM ISTMOCELE: UM RELATO DE CASO

CONTEXTO

Gestação ectópica (GE) é a implementação de um óvulo fertilizado em um local anormal. Geralmente atinge as tubas uterinas, podendo acometer sítios atípicos, como a cicatriz de cesárea prévia - forma mais rara e grave de GE; sendo o diagnóstico precoce e o manejo adequado, fundamentais para a redução da morbimortalidade.

DESCRIÇÃO DO(S) CASO(S) ou da SÉRIE DE CASOS

37 anos, G4C2A1, diagnóstico de gestação por β-HCG e idade gestacional por DUM com 5 semanas e 1 dia, queixa-se de dor em baixo ventre e episódios de sangramento vaginal com coágulos. Em uma primeira ecografia, não foi identificado saco gestacional tópico ou ectópico, mas observou-se pequena quantidade de líquido na cicatriz uterina. Realizou-se laparotomia exploratória sem visualização de saco gestacional na pelve. Após laparotomia, realizou-se outra ultrassonografia transvaginal (USTV), sendo, então, visualizado saco gestacional implantado em cicatriz uterina de cesariana prévia, sem identificação de vesícula vitelínica ou de estrutura embrionária. Por meio de Ressonância Magnética (RM) pélvica, detectou-se imagem nodular heterogênea em região ístmica uterina e coágulos em região fúndica. Em nova USTV, foi observado aumento de líquido na cavidade uterina, com persistência de saco gestacional na transição istmocorpórea e com maior reação trofoblástica. Após uso de metotrexato em dose única, obteve-se queda dos valores de β-HCG, mas com subsequente aumento expressivo dias após, sendo realizada histerectomia subtotal.

COMENTÁRIOS

O sinal inicial mais comum de GE em cicatriz de cesariana é o sangramento transvaginal. A USTV e a dosagem de β-HCG quantitativo permitem um diagnóstico mais precoce podendo ser complementado por RM, sendo esses os exames realizados no caso relatado. Devido à raridade e às possíveis complicações da GE em istmocele, a recomendação é a intervenção através do tratamento não cirúrgico com a utilização de medicamentos, como o metotrexato, e, não sendo resolutivo, tratamento cirúrgico deve ser considerado. O resultado do tratamento clínico depende das taxas de β-HCG iniciais e o tratamento cirúrgico indicado é a ressecção da gestação ectópica ou, mesmo, histerectomia.

PALAVRA CHAVE

Gravidez Ectópica

Área

OBSTETRÍCIA - Obstetrícia Geral

Autores

Leandro Luis Assmann, Eduarda Rebés Müller, Eduarda Bertolini, Lavínia Comarú Traichel, Gabriela Teixeira da Silveira, Mariana Wallauer Reinheimer, Luiza Maciel Fuentes

Adicione na sua agenda: AppleGoogleOffice 365OutlookOutlook.comYahoo