59º Congresso Brasileiro de Ginecologia e Obstetrícia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

CONHECIMENTO DOS MÉDICOS NÃO OBSTETRAS FRENTE À COVID-19 EM GESTANTES

OBJETIVO

Esse estudo tem o objetivo de determinar as características comportamentais mais adotadas por profissionais médicos não obstetras no atendimento frente à COVID-19 em gestantes.

MÉTODOS

Estudo observacional transversal. Foi feito através da aplicação de questionário online pela plataforma Google Forms com 48 questões referentes ao atendimento às gestantes frente à pandemia do COVID-19. Participaram da pesquisa médicos de todo o país, tendo esse trabalho sido aprovado pelo Comitê de Ética e Pesquisa da Universidade Federal de Sergipe e os profissionais concordado em participar da pesquisa mediante assinatura do TCLE. Foram incluídos na pesquisa médicos que trabalharam durante a pandemia e excluídos aqueles que não trabalharam ou que não concordaram com o TCLE. Para análise de dados, foi feita análise estatística descritiva e inferencial, apresentando as variáveis categóricas por meio de frequências simples e relativas. Foi usado o teste de qui-quadrado e o teste exato de Fisher, sendo o nível de significância estatística estipulado em 5% (p ≤ 0,05). Os dados qualitativos foram analisados e caracterizados através da plataforma N vivo.

RESULTADOS

121 médicos não especialistas em obstetrícia participaram do estudo. Entre eles, 36 (29,7%) tinham outras especialidades e 85 (70,3%) eram clínicos gerais. Em relação ao aumento do prazo entre as consultas das gestantes, 60 (49,5%) não adotou essa conduta. De todos eles, 88 (72,7%) considerava as gestantes como uma população pertencente ao grupo de risco e 70 (57,8%) não se considerava apto para atender gestantes com COVID-19. Além disso, apenas 31 (25,6%) tinham protocolos para atendimentos às gestantes no ambiente de trabalho e para 114 (94,2%) médicos não foram oferecidos nenhum treinamento para o atendimento das gestantes com suspeita ou diagnóstico de COVID-19.

CONCLUSÕES

Conclui-se que a maioria dos médicos não obstetras considera a gestação como uma condição de risco, porém mais da metade não se sente apto para atendê-las, existindo uma escassez de protocolos e treinamentos específicos para o atendimento à essa população.

PALAVRA CHAVE

COVID-19; Gravidez; Médicos.

Área

OBSTETRÍCIA - Doenças Infecciosas

Autores

Yasmin Juliany de Souza Figueiredo, Michele Caroline Figueiredo Ferreira, Lara Benário de Lisboa Santos, Luiz Ricardo Gois Fontes, Laís Baldin, Barbara Rhayane Santos, João Eduardo Andrade Tavares de Aguiar, Júlia Maria Gonçalves Dias

Adicione na sua agenda: AppleGoogleOffice 365OutlookOutlook.comYahoo