59º Congresso Brasileiro de Ginecologia e Obstetrícia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

Gravidez ectópica em cicatriz de cesárea sem reposta a metotrexato intratecal evoluindo para histerectomia.

CONTEXTO

A gravidez ectópica em cicatriz de cesárea é uma forma rara de gestação ectópica, com grande risco de ruptura e hemorragia volumosa e óbito materno. Sua incidência tem aumentado devido ao aumento de número de partos cesarianos. Antigamente a conduta cirúrgica por meio da histerectomia era a forma de tratamento, hoje há também conduta conservadora com uso de medicações buscando a involução desta gestação.

DESCRIÇÃO DO(S) CASO(S) ou da SÉRIE DE CASOS

Paciente SSS, 35 anos, G3PC2A1, DUM incerta, deu entrada com apresentando quadro de dor em região abdominal, acompanhado de pequeno sangramento vaginal e Beta hcg quantitativo de 112818 ; a mesma foi diagnosticada por meio da Ultrassonografia Transvaginal do dia 19/10/2020 a qual apresentava saco gestacional com paredes levementes lobuladas, implantando em região istmo-cervical, com infiltração do miométrio e estendendo a serosa, com feto vivo. Devido a sintomatologia leve estabilidade hemodinâmica da paciente e tentativa de não realizar conduta cirúrgica, foi optado por tratamento conservador, com uso do Metotrexato intratecal afim de involução dessa gravidez ectópica e após acompanhamento do beta hcg quantitativo que inicialmente era de 20/10/2020 112818,0 até seu valor indetectável. Foi realizado a medicação dia 30/10/2020 e após isso houve decréscimo gradativo do beta hcg, sendo acompanhada ambulatorialmente semanalmente, chegando a valor de 40,1 no dia 23/12/2020; porém, houve elevação do beta hcg, chegando a valores de 54,7 em 27/01/2021, com permanência de dor abdominal em região supra púbica de moderada intensidade e Ultrassonografia Transvaginal apresentando gestação ectópica em cicatriz de cesária, com a presença de embrião em óbito cuja IG pela biometria é de 8se5d, embrião de aproximadamente 5,5mm; não demonstrando regressão do embrião, optando-se para histerectomia abdominal.

COMENTÁRIOS

Ainda há muito para ser estudado e discutido sobre este tipo de gravidez ectópica, tendo grande importância clínica e para morbi e mortalidade materna. Neste caso, como não houve resposta ao uso da medicação, evoluiu para conduta cirúrgica. Há ainda na literatura casos que respondem ao uso da medicação não sendo necessário conduta cirúrgica, como também há novos relatos sobre uso de embolização das artérias uterinas e uso do metotrexato intratecal, sendo necessário novos estudos e/ou novos relatos para conclusão e decisão de tratamento deste tipo de patologia obstétrica.

PALAVRA CHAVE

Gestação; Ectópica;

Área

OBSTETRÍCIA - Multidisciplinar

Autores

Ulysses Emanuel Carniello Moreira , Annie Caroline Magalhães Santos , Mirian Oliveira Sobrinho

Adicione na sua agenda: AppleGoogleOffice 365OutlookOutlook.comYahoo