59º Congresso Brasileiro de Ginecologia e Obstetrícia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

Gravidez Heterotópica: Um diagnóstico a ser lembrado

CONTEXTO

A gravidez heterotópica é a coexistência de pelo menos dois sítios de implantação. É um fenômeno raro com incidência de 1:30.000 gestações espontâneas. O diagnóstico precoce pode ser dificultado pela presença de uma gestação saudável intrauterina. E o uso regular de contracepção pode atrasar ainda mais este diagnóstico.

DESCRIÇÃO DO(S) CASO(S) ou da SÉRIE DE CASOS

Paciente de 30 anos, 4 gestações, 2 cesáreas, 1 aborto e 1 prenhez ectópica tratada com metrotexato. Usuária de contraceptivo hormonal combinado (drospirenona 3mg + etinilestradiol 0,02mg), iniciou quadro de dor abdominal e sangramento vaginal irregular moderado. Após um mês de sintomas procurou Unidade Básica de Saúde com troca do contraceptivo por outro de maior dosagem estrogênica (drospirenona 3mg + etinilestradiol 0,03mg). Sem melhora, após 10 dias voltou a UBS, foi novamente avaliada e teve a prescrição de anti-inflamatório não hormonal (nimesulida). Amenizada a dor, mas ainda apresentando surtos de cólicas que eclodiam com perdas sanguíneas consideráveis. Procurou a farmácia e iniciou o uso de ácido tranexâmico. Chegou ao nosso Serviço recebendo ACH, AINH e ácido tranexâmico relatando não mais suportar a dor e o sangramento. EF: abdome flácido, doloroso a palpação profunda. Colo do útero impérvio, sangramento vaginal vermelho escuro tipo menstrual. Fundo de saco pouco abaulado e doloroso ao toque. Ultrassom transvaginal identificou conteúdo intrauterino heterogêneo e amorfo, presença de imagem cística complexa paraovariana esquerda e pequena quantidade de liquido livre em cavidade. Dosagem de gonadotrofina coriônica positiva. Suspensas as medicações a paciente foi internada com diagnóstico de Prenhez Ectópica Rota em Anexo E. Submetida a laparotomia com confirmação diagnóstica e realizalização de salpingectomia esquerda. Frente ao sangramento uterino considerável e a presença de conteúdo intra-uterino amorfo optou-se pela realização associada de curetagem uterina. O exame anátomo-patológico revelou restos ovulares intrauterinos e prenhez ectópica rota. Paciente teve alta hospital após 24 horas em ótimas condições de saúde.

COMENTÁRIOS

Os contraceptivos orais combinados podem falhar em até 8%. A queixa da paciente deve ser valorizada e o exame físico fazer parte de todas as avaliações ginecológicas. Tratamentos empíricos e automedicação podem comprometer prognósticos. Neste caso em especial o diagnóstico precoce poderia ter evitado o sofrimento da paciente e talvez possibilitado a continuidade da gestação tópica

PALAVRA CHAVE

Gravidez heterotópica, complicações na gravidez, contracepção

Área

OBSTETRÍCIA - Gestação de Alto Risco

Autores

Camilla Kallás Hueb, Guilherme Tadeu Tucci Castilho Junior, Guilherme Kallás Hueb, Cristina Kallás Hueb

Adicione na sua agenda: AppleGoogleOffice 365OutlookOutlook.comYahoo