59º Congresso Brasileiro de Ginecologia e Obstetrícia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

CIRURGIA INTRAÚTERO A CÉU ABERTO NA MENINGOMIELOCELE NO NORDESTE DO BRASIL: RESULTADOS PERINATAIS

OBJETIVO

Determinar os desfechos fetais e neonatais de um hospital de referência do nordeste brasileiro em recém-nascidos submetidos a correção intraútero ou pós-natal de MMO.

MÉTODOS

Estudo de coorte retrospectivo descritivo com base nos prontuários de bebês do setor de Medicina Fetal do Instituto de Medicina Integral Prof. Fernando Figueira (IMIP) entre janeiro de 2013 e março de 2021, submetidos a correção intraútero ou pós-natal, para correção de MMO. As variáveis estudadas após o nascimento foram as características maternas (idade, escolaridade e passado obstétrico), desfechos fetais (idade gestacional do parto, óbito neonatal e óbito fetal) e desfechos neonatais (hidrocefalia, síndrome de Arnold-Chiari II, síndrome do desconforto respiratório, alterações cognitivas e motoras, bexiga e intestino neurogênico e paraplegia).

RESULTADOS

No período do estudo foram resgatados 23 prontuários, 14 do grupo intraútero e 9 do grupo pós-natal. A média de idade gestacional de diagnóstico para os dois grupos foi de 23 semanas. O grupo intraútero teve média de idade gestacional no parto de 32,5 semanas (DP 5,4), enquanto após o nascimento foi de 38 semanas (DP 1,9). Houve três óbitos fetais na cirurgia a céu aberto, sendo que dois destes por prematuridade extrema, enquanto na cirurgia pós natal houve um relato de óbito fetal. Não houve registro de óbitos após o nascimento para ambos os grupos. Na cirurgia intraútero, foram relatados 55% da síndrome de Arnold Chiari II, 50% de hidrocefalia, 8,4% de bexiga e intestino neurogênico e nenhuma alteração cognitivas e/ou motora nos recém-nascidos. Enquanto, na cirurgia pós natal foi observado hidrocefalia em 83,3%, síndrome de Arnold Chiari II em 50%, bexiga neurogênica em 50,0% e alterações motoras em 33,3% dos recém-nascidos.

CONCLUSÕES

Observou-se que os desfechos perinatais foram melhores para os fetos que realizaram a cirurgias de correção de MMO intrauterina. Entretanto, devido ao pequeno número da amostra não foi possível demonstrar diferenças entre as cirurgias intraútero e pós-natal, sendo necessários estudos com maior tamanho amostral.

PALAVRA CHAVE

Mielomeningocele. Ultrassonografia pré-natal. Cuidado Pré-Natal.

Área

OBSTETRÍCIA - Medicina Fetal

Autores

Nicolas Dias Lima, Camila Barros Vieira, Rebeca Torquato Callou, Igor Faquini , Sílvia Loreto Faquini , Orlando Gomes dos Santos Neto, Geraldo Furtado , Alex Sandro Rolland Souza

Adicione na sua agenda: AppleGoogleOffice 365OutlookOutlook.comYahoo