59º Congresso Brasileiro de Ginecologia e Obstetrícia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

Miocardiopatia Periparto: relato de caso

CONTEXTO

A Miocardiopatia Periparto é rara e tem etiologia multifatoriais, frequentemente não diagnosticada precocemente, devido as variadas manifestações clínicas serem atribuídas às alterações fisiológicas da gravidez e do puerpério. O diagnóstico deve ser aventado em toda gestante ou puérpera previamente hígida, com sintomatologia de Insuficiência cardíaca. É essencial a demonstração ecocardiográfica de disfunção sistólica de VE para que se possa rapidamente instituir a terapêutica eficaz, o que permite reduzir as taxas de mortalidade e melhorar o prognóstico.

DESCRIÇÃO DO(S) CASO(S) ou da SÉRIE DE CASOS

T.S.C, 19 anos, branca, deu entrada na maternidade quatro dias após o parto, com pico hipertensivo associado a dor torácica em aperto - irradiada para dorso, com piora aos esforços e decúbito dorsal e melhora ortostática – taquipneia e sensação de palpitação há dois dias.
No dia seguinte, a paciente apresentava-se hipertensa, taquipneica, taquicárdica e edema de membros inferiores. A primeira hipótese diagnóstica seria Trombose Venosa Profunda, com evolução para Trombo Embolismo Pulmonar, sendo prescrito, anticoagulação plena.
Paciente internada no CTI para monitorização clínica. ECG normal e Ecocardiograma que evidenciou aumento das cavidades esquerdas; Hipocinesia difusa do VE com leve/moderada disfunção sistólica global; Análise da função diastólica do VE prejudicada; ao color Doppler notam-se IM moderada, IAO e IT leves; PSAP estimada em 37 mmHg (pressão no AD: 5 mmHg); VCI normodistendida (16 mm), com variação respiratória preservada; leve derrame pericárdico, sem aumento da pressão intrapericárdica. Após os exames, confirmou-se o diagnóstico de Miocardiopatia Periparto.
Paciente monitorizada e submetida a terapêutica com Lasix 20 mg, EV, 12/12h; Liquemine 5000 UI - 0,25 ml, SC, 8/8h; Coreg 6,25 mg, VO, 12/12h; Aldactone 25 mg, VO, 1 vez/dia e Renitec 10 mg VO, 12/12h; três dias após recebeu alta para enfermaria com prescrição de anti-hipertensivos e diuréticos orais. Manteve-se estável hemodinamicamente e recebeu alta hospitalar após mais dois dias, sendo encaminhada ao ambulatório de Cardiologia.

COMENTÁRIOS

Miocardiopatia Periparto é uma patologia rara, com critérios mal definidos de diagnóstico e tratamento. Essa enfermidade é subestimada e subnotificada, com necessidade de maiores estudos e uma boa notificação, para que novas informações e dados sejam revelados e divulgados, sendo possível fazer um diagnóstico com maior acurácia e maior rapidez, trazendo menos danos e mais chances de recuperação para a paciente.

PALAVRA CHAVE

Miocardiopatia periparto; insuficiencia cardiaca na gravidez; taquicardia na gravidez

Área

OBSTETRÍCIA - Obstetrícia Geral

Autores

Bruno de Almeida Castro Soares, Antonio Bussade Junior, Camila Fleckner Navarro Rodrigues Caldas, Mariana Pessanha Wagner de Azevedo, Thaiza Rocha Barbosa, Mariacélia Fernandes Rocha, Rogério Martins de Castro

Adicione na sua agenda: AppleGoogleOffice 365OutlookOutlook.comYahoo