59º Congresso Brasileiro de Ginecologia e Obstetrícia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

METÁSTASE DE CARCINOMA DE COLO UTERINO PARA OVÁRIO: UM RARO RELATO DE CASO

CONTEXTO

O câncer do colo de útero é considerado um problema de saúde pública. É o câncer ginecológico mais comum nas mulheres e 4ª causa de morte. Os tipos histológicos mais prevalentes são o carcinoma de células escamosas e adenocarcinomas. Quando atinge a lâmina basal pode alcançar a corrente linfática e sanguínea ou ainda, por contiguidade, os órgãos adjacentes, se disseminando. As metástases ocorrem, na maioria das vezes, por via linfática, levando a doença até linfonodos pélvicos e para aórticos. Em cerca de 10% dos casos, o carcinoma cervical pode atingir pulmões, ossos e fígado. A metástase ovariana do adenocarcinoma de colo uterino é de 3,61% e do carcinoma de células escamosas 1,46%. Assim, descrevemos um caso de metástase ovariana advinda de tumor primário do colo uterino, diagnosticado após exerese completa e imunoistoquímica da peça.

DESCRIÇÃO DO(S) CASO(S) ou da SÉRIE DE CASOS

Paciente, 57 anos, feminina, G3P3A0, menopausada aos 53 anos, encaminhada com queixa de sangramento vaginal há 2 anos e dor abdominal difusa. A ultrassonografia transvaginal mostrou massa anexial direita e a radiografia de tórax, derrame pleural. Foi submetida a laparotomia exploradora, na qual, durante o inventário da cavidade, confirmou-se tumoração anexial e foi realizado histerectomia total com salpingooforectomia bilateral, linfadenectomia pélvica e paraórtica com omentectomia. O resultado do anatomopatológico, assim como a imunoistoquímica, revelou adenocarcinoma endocervial bem diferenciado estadio Ib2 com metástase ovariana. Foi então encaminhada para quimioterapia. Um ano após, iniciou com sangramento genital e dor em fossa ilíaca direita. Ao exame especular apresentava lesão vegetante em fundo vaginal, cuja biópsia mostrou adenocarcinoma bem diferenciado. Foi realizado colpectomia, cujo anatomopatológico confirmou adenocarcinoma viloglandular infiltrando parede vaginal. Paciente foi encaminhada para radioterapia e braquiterapia.

COMENTÁRIOS

Os tumores ovarianos metastáticos são mais comumente oriundos do trato intestinal e das mamas, sendo raro sua origem cervical. A detecção da proteína p16 serve como marcador da infecção do HPV de alto risco. A expressão dessa proteína é sensível e específico para identificar adenocarcinomas endocervicais metastáticos para o ovário e diferenciar entre os tumores ovarianos primários e outros adenocarcinomas metastáticos de outros locais. Nesse aspecto, é importante ressaltar a importância do estadiamento, dos critérios morfológicos e imunoistoquímicos para a acertividade diagnóstica.

PALAVRA CHAVE

Tumor ovariano metastático, carcinoma cervical, metástases de câncer de colo.

Área

GINECOLOGIA - Oncologia Ginecológica

Autores

Welington Lombardi, Taynara Fernandes Souza, Isabela Barbosa Santos, Julia Rodrigues Vieira Borrasca, Larissa Garcia, Isadora Rocha Pasqualotto, Marina Abud Ferreira, Flavia Vicentin Silva

Adicione na sua agenda: AppleGoogleOffice 365OutlookOutlook.comYahoo