59º Congresso Brasileiro de Ginecologia e Obstetrícia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

Pancreatite aguda necrosante em gestante sem comorbidades: relato de caso

CONTEXTO

Pancreatite aguda durante a gravidez é uma doença rara e grave, podendo levar a uma resposta inflamatória intensa e provocar falência múltipla de órgãos. A maioria dos casos está associada à colelitíase, sendo mais comum no terceiro trimestre de gestação, além de estar associada a altas taxas de mortalidade materna e perinatal, chegando até 50%. Será relatado um caso de uma paciente diagnosticada com pancreatite necrosante, um subtipo grave de pancreatite aguda.

DESCRIÇÃO DO(S) CASO(S) ou da SÉRIE DE CASOS

Gestante, 26 anos, primigesta, com 33 semanas, foi admitida com dor em hipocôndrio direito, azia, com diurese escurecida e constipação. Ao exame, abdome doloroso à palpação em hipocôndrio direito e sinal de Giordano positivo à direita. Foi iniciado tratamento para pielonefrite e solicitada ultrassonografia de abdome superior, que demonstrou vesícula biliar contraída, com focos hiperecogênicos e extensa coleção em todo o hemiabdome direito, com ecos em suspensão e aparentes septações, sendo considerado abdome agudo inflamatório com coleção e indicada cirurgia. Realizada cesariana com incisão mediana infraumbilical, com retirada de recém-nascido pré-termo e, ao abrir o retroperitôneo, foram achadas coleção viscosa e enegrecida, associada com extensa necrose tecidual e pancreatite aguda necrosante, sendo realizada necrosectomia parcial de tecidos em hemiabdome direito. Paciente foi internada em UTI obstétrica, evoluindo bem, com alta para a enfermaria cinco dias após a cirurgia. Os resultados dos exames de amilase e lipase dois dias após o procedimento foram 51 e 164, respectivamente.

COMENTÁRIOS

As causas mais frequentes de pancreatite na gestação são colelitíase, abuso de álcool e hiperlipidemia. As alterações hormonais da gravidez levam à estase biliar e os cálculos podem migrar do ducto biliar e provocar obstrução do ducto pancreático. Os sintomas são inespecíficos, incluindo dor no abdome superior, náuseas e vômitos. Em casos graves, pode ocorrer hipovolemia por aumento da permeabilidade capilar e consequente perda de fluido para o compartimento extravascular. Na suspeita de pancreatite, exames complementares como amilase e lipase dão segurança para um diagnóstico clínico, juntamente com exames de imagem. No caso da paciente em questão, o diagnóstico foi realizado apenas no ato cirúrgico. O tratamento em casos de pancreatite aguda necrosante estéril pode ser apenas com manejo clínico dos sintomas, mas em alguns casos com maior reverberação clínica é indicada a cirurgia.

PALAVRA CHAVE

Pancreatite Aguda. Pancreatite Necrosante. Gravidez de Alto Risco.

Área

OBSTETRÍCIA - Gestação de Alto Risco

Autores

Igor de Souza Araújo, Lucas Felix Marinho Neves, Thaise Villarim de Oliveira, Marina Amorim Albuquerque, Melania Maria Ramos Amorim

Adicione na sua agenda: AppleGoogleOffice 365OutlookOutlook.comYahoo