59º Congresso Brasileiro de Ginecologia e Obstetrícia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

Perfil da mulher climatérica brasileira: um estudo de âmbito nacional

OBJETIVO

Conhecer as características epidemiológicas do climatério na população brasileira, bem como conhecer a forma como as mulheres procuram tratar os sintomas decorrentes e sua visão sobre a terapêutica hormonal da menopausa (TH).

MÉTODOS

Estudo epidemiológico transversal de abrangência nacional com 1.500 mulheres com idade entre 45 e 65 anos, respeitando-se as proporcionalidades por regiões do país e por classe socioeconômica, realizado por meio de questionários online estruturados.

RESULTADOS

A média etária das participantes foi 52,3 ± 5,5 anos, sendo de 55,3 ± 4,8 anos para o subgrupo daquelas na pós-menopausa. O início de alterações da regularidade menstrual relacionadas à transição menopausal foi aos 43,5 ± 9,7 anos. A idade de menopausa foi de 47,6 ± 5,1 sem diferenças entre as classes socioeconômicas. A prevalência de quaisquer sintomas climatéricos foi 87,9% e de 73,1% para a ocorrência de ondas de calor. A média etária para início dos fogachos foi reportada como 47,1 ± 5,4 anos. Declararam-se conhecedoras do que é climatério/menopausa 60,3% e do que é TH, 55,4%, sendo que as classes socioeconômicas mais altas apresentaram taxas maiores de conhecimento do que as mais baixas. Dentre as mulheres com diagnóstico de menopausa ou transição menopausal, 52,1% receberam algum tratamento medicamentoso e, destas, a TH foi o tratamento proposto para 42,9% (22,3% do total de mulheres na menopausa/transição menopausal). Dentre as que receberam a TH, a via oral de administração foi a mais frequente, todavia 19,1% das prescritas com TH não chegaram a iniciar o tratamento, tendo sido observadas menores taxas de não início nas classes mais altas do que nas mais baixas. No momento de aplicação do questionário, apenas 45,4% das que iniciaram a TH ainda estavam em uso do tratamento. No subgrupo que já havia interrompido o tratamento, o tempo mediano de uso foi de 8 meses, tendo sido maior nas classes mais elevadas do que nas mais baixas. Dentre as que iniciaram a TH, 91,1% reportaram melhora da qualidade de vida em virtude do tratamento.

CONCLUSÕES

Neste primeiro grande estudo populacional de abrangência nacional sobre climatério e TH, observou-se que a média etária da menopausa no Brasil é de 47,6 anos e que apenas uma pequena parte inicia a TH, além disso, o tempo de uso mediano é curto. Notaram-se também diferenças nas respostas conforme a classe socioeconômica.

PALAVRA CHAVE

menopausa; climatério; terapêutica hormonal da menopausa; sintomas vasomotores; epidemiologia

Área

GINECOLOGIA - Climatério

Autores

Luciano Melo Pompei, Rogério Bonassi-Machado, Marcelo Luis Steiner, Isabella Melo Pompei, Nilson Roberto de Melo, César Eduardo Fernandes

Adicione na sua agenda: AppleGoogleOffice 365OutlookOutlook.comYahoo