59º Congresso Brasileiro de Ginecologia e Obstetrícia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

Colestase Intra Hepática Gestacional: pouco conhecida, mas, muito relevante

CONTEXTO

A colestase intra-hepática gestacional (CIG) é o comprometimento do fluxo biliar com deposição de sais biliares na pele e na placenta. A causa é multifatorial e o quadro clínico é de prurido. A CIG predispõem a desfechos gestacionais adversos para o feto, incluindo prematuridade, morte fetal intrauterina e síndrome do desconforto respiratório.

DESCRIÇÃO DO(S) CASO(S) ou da SÉRIE DE CASOS

Primigesta de 33 anos, iniciou quadro de prurido generalizado, exceto em face, com 24 semanas de gestação. Ausência de lesões cutâneas, apenas escoriações pela coçadura. Introduzida hidratação hipoalergênica sem perfume com hidrocortisona tópica. Houve melhora inicial dos sintomas, mas, com piora subsequente especialmente noturna. Realizada rotina laboratorial de terceiro trimestre incluindo função hepática e renal. Todos normais, exceto por TGO de 106 U/L e TGP de 221 U/L. Virologias para hepatite A, B e C negativas. Fechado diagnóstico de CIG e iniciado uso de Hidroxizina 50mg 3X ao dia para alívio do prurido. Ultrassom doppler com bom desenvolvimento e vitalidade fetal. Nas 28 semanas de gestação houve intensificação da clínica, realizada dosagem dos ácidos biliares de 22 micromoles/L. Introduzido ácido ursodesoxicólico 600mg/dia, para remissão dos sintomas. Iniciado controle de movimentos fetais, cardiotocografia fetal semanal e ultrassom com doppler quinzenal. Houve melhora dos sintomas e o parto eletivo foi programado para 37 semanas. Realizada cesárea a pedido da paciente com regressão total dos sintomas após 7 dias do parto. Recém-nascido apresentou desconforto respiratório leve com melhora em 24 horas.

COMENTÁRIOS

A Colestase intra-hepática gestacional é uma condição rara (0,7% das gestações), pouco conhecida e cujo diagnóstico correto possibilita a instauração de controle clínico e de vigilância fetal adequada evitando-se desconforto da paciente e principalmente desfechos gestacionais desfavoráveis.

PALAVRA CHAVE

colestase intra-hepática gestacional, função hepática, resultado neonatal

Área

OBSTETRÍCIA - Gestação de Alto Risco

Autores

Guilherme Kallás Hueb, Guilherme Tadeu Tucci Castilho Junior, Camilla Kallás Hueb, Cristina kallás Hueb

Adicione na sua agenda: AppleGoogleOffice 365OutlookOutlook.comYahoo